30 de jun de 2010

A palavra é: Hipnose

A grande maioria das pessoas tem uma idéia muito clara do que significa o termo hipnose. Entretanto poucos conhecem a origem deste termo hipnose que vem da mitologia grega.

Na Grécia, Hipnos era o deus do sono, que era o pai de Morfeu, o deus dos sonhos. Seu nome foi usado para designar aquele estado de sonolência que está associado à hipnose.

Não por acaso, os medicamentos que induzem o sono são também denominados de hipnóticos. O nome de seu filho, por sua vez, está presente no radical de morfina.



28 de jun de 2010

Disco da semana - Is This It

"Is This It" (2001) - The Strokes

Faixas:

1."Is This It"
2."The Modern Age"
3."Soma"
4."Barely Legal"
5."Someday"
6."Alone, Together"
7."Last Nite"
8."Hard to Explain"
9."New York City Cops"
10."Trying Your Luck"
11."Take It or Leave It"





"Is This It" é o álbum de estréia do grupo The Strokes, formado por Julian Casablancas (vocais), Nikolai Fraiture (baixo), Albert Hammond, Jr. (guitarra), Fabrizio Moretti (bateria) e Nick Valensi (guitarra).

Quando surgiu o álbum foi superestimado por muitos, como aconteceu a tantos outros ao longo da história. Fato é que realmente trata-se de um bom disco, simples e direto, sem muita produção e incremento e, em certa medida, até sujo e displicente.

A primeira faixa, que dá nome ao disco, não mostra muito do que virá a seguir. O disco realmente começa na faixa 2, "The Modern Age" e segue em uma crescente nas faixas seguintes "Soma", "Barely Legal" e "Someday".

A faixa 6, "Alone, Together", quebra um pouco do ritmo adquirido até então não se mostrando tão interessante quanto as anteriores, tampouco quanto a faixa seguinte, grande hit do álbum, "Last Nite".

"Hard to Explain" e "New York City Cops" poderiam ser seguidas de "Take It or Leave It" e assim encerrar o disco, excluindo a pouco promissora "Trying Your Luck".

"Is This It" não mudou o rock, mas influenciou a maneira como algumas bandas passaram a encarar seu próprio som.

O futuro mora aí

Preste bastante atenção na figura abaixo.
Agora pense: o que tem dentro?

Uma casa! Aham, uma casa. O projeto é do designer Andrew Kline e contém quarto, banheiro, cozinha e armário. O compartimento é feito com nove módulos que abrem e fecham. Depois de recolhidos, deixam o espaço ao redor livre e além disso são muito fáceis de transportar. Imagine que você pode levar a sua casa para qualquer lugar porque ela não vai ocupar espaço quase nenhum.
A intenção por trás dessa unidade de morar é interessante: ser uma forma de moradia alternativa que ocupe espaços urbanos abandonados, por exemplo as zonas industriais de Detroit. Seriam solucionados dois problemas de uma só vez, a falta de moradia e o destino dado à áreas subaproveitadas.

Bom ver iniciativas como essa que tentam criativamente oferecer moradia a todos.

Do ótimo Dezeen.

26 de jun de 2010

Educação musical

A versão norte-americana do Vila Sésamo não tem só o Elmo como atração principal. Os musicais apresentados no programa trazem cantores altamente gabaritados. Dentre eles estão:

Diana Krall:



Norah Jones:



E Andrea Bocelli. O vídeo mais cuti-cuti de todos!



As crianças estão sendo bem educadas!

25 de jun de 2010

Vou te adicionar no orkut meu!



Fuguetão Baiano! O som que não bate. Espanca! O hit do momento em algum canto do Brasil...

24 de jun de 2010

Frases antológicas - Jack Sparrow

Seguindo em parte a sugestão do nosso leitor Pedro, apresentamos mais um personagem da ficção no post frases antológicas.

Desta vez teremos Jack Sparrow, aliás Capitão Jack Sparrow, é um pirata fictício e personagem principal dos filmes de Piratas do Caribe, sendo eles: Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra (2003), Piratas do Caribe: O Baú da morte (2006) e Piratas do Caribe 3: No Fim do Mundo (2007). O personagem é interpretado pelo ator Johnny Depp.


Frases:

"Mas porquê acabar com o rum?!"

"Um navio não é velas, casco, etc, isso é o que um navio precisa. O que um navio é, o que um navio realmente é : é liberdade."
"Vocês ainda vão se lembrar desse dia em que quase capturaram o capitão Jack Sparrow."

"A ilha de Tortuga só pode ser achada por aqueles que sabem onde ela fica!"

"Tesouro não é só ouro e prata."

"Ela está bem como eu prometi, você vai morrer por ela como você prometeu e ela vai casar com o comodoro como ela promete. Somos todos homens de palavra, exceto Elizabeth que é de fato uma mulher"

"Isso não é um sonho. Se fosse haveria rum!"

"Sou desonesto. Pode-se confiar que um homem desonesto será desonesto. Honestamente são dos honestos que prescisam tomar cuidado pois nunca se sabe quando farão algo incrivelmente estúpido"

"Sem sobreviventes? Então que conta as histórias?"

"Crueldade é uma questão de perspectiva"

"Se alguém ficar para trás, deixe-o para trás."

"Agora, tragam-me o horizonte."

"Pra que lutar se podemos negociar...."

"O mundo é o mesmo, com menos razões pra se viver"

"Pegue o que puder! Sem nada a devolver!"

Na verdade eu me sinto muito bem com tudo isso... acho que chegamos há algum lugar hipoteticamente, espiritualmente... Gramaticalmente"

"Será que ninguém veio me buscar por que sentiu saudades?"

"Só há uma regra que devemos nos importar: O que um homem pode fazer, e o que ele não pode..."

"Só existem 2 motivos para alguém se preocupar com você: ou ela te ama muito, ou você tem algo que ela queira muito." (Dica da leitora Leandra Pianco)

22 de jun de 2010

Nome ou marca?

Diariamente utilizamos produtos que identificamos por um nome simples, conhecido por todos. É assim com o Bom Bril, Cotonete, Gillette... Acontece que todos estes nomes na verdade são marcas que de tão difundidas acabaram se tornando sinônimos do produto.


Vamos ver alguns casos semelhantes, a começar pelos três citados acima:

Bom Bril – Nada mais é do que a chamada esponja de aço. Mas quase ninguém chama assim. O comum é falar Bom Bril, mesmo que seja da Assolan!

Cotonete - “Cotonete” é uma marca criada pela Johnson & Johnson. O nome correto é haste flexível. Situação semelhante a do Bom Bril... Ninguém pede uma haste flexível.

Gillette - Lâmina de barbear criada pelo americano King Camp Gillette. Daí o nome.

Maizena - Essa eu já havia ouvido falar, mas não me lembrava... Até em programas de culinária é comum ouvirmos a cozinheira citar Maizena e não amido de milho. Maizena é uma marca do grupo Unilever.Xerox - Nome de uma empresa que produz, entre outras coisas, as famosas máquinas de foto-cópia.

Modess - Mais uma marca da Johnson & Johnson que em muitos casos se tornou sinônimo do produto, o absorvente higiênico.

Band-Aid – A Johnson & Johnson deve ter uma divisão bem remunerada pra criar esses nomes-marcas. Band-Aid é mais um, sinônimo de curativo adesivo.

Miojo – Assim como o Bom Bril, é comum ouvirmos alguém pedir o Miojo da marca tal, sendo que Miojo é a marca de macarrão instantâneo da Nissin.

Jipe - Nem todo carro off-road pode ser chamado de Jipe, pois trata-se de uma marca e não tipo de carro. Bem, isso na teoria...

Chiclets - A marca da Adams para o verdadeiro nome do produto “Goma de Mascar”. Mais um caso de marca que virou sinônimo. NINGUÉM compra goma de mascar! Ninguém!


Agora os quatro "casos" que mais me surpreenderam:


Catupiry - Podia jurar que catupiry era um tipo de requeijão! Nada disso! É uma marca!

Fórmica - Apesar de não saber ao certo o que é fórmica, sempre achei que se tratasse de algo como azulejo, apenas um tipo de material. Ledo engano. Fórmica é uma marca criada pela empresa Formiline para seu laminado plástico para revestimentos.

Tênis - Esse é um caso peculiar. Tênis era uma marca que pertencia a empresa “São Paulo Alpargatas”. Entretanto esta perdeu o direito à proteção, ou seja, todas as marcas agora podem divulgar “tênis”.

Isopor – O responsável direto por este post. Ao ouvir de uma amiga que isopor era marca, veio o interesse pelo assunto. Na verdade o material que conhecemos como isopor é poliestireno expandido. “Isopor” é uma marca da empresa Basf!

21 de jun de 2010

Beat It no sapatinho

No próximo dia 25 de junho faz 1 ano que mundo perdeu Michael Jackson. Como homenagem, vai aqui uma versão bem brazuca: o clássico Beat It na forma de samba-rock. É o Michael Jackson de gafieira.



E não é que ficou bom?


Disco da semana - Brothers in Arms

"Brothers in Arms" (1985) - Dire Straits

Faixas:

1."So Far Away"
2."Money For Nothing"
3."Walk Of Life"
4."Your Latest Trick"
5."Why Worry"
6."Ride Across the River"
7."The Man's Too Strong"
8."One World"
9."Brothers in Arms"







O álbum "Brothers in Arms" foi lançado em 1985 tornando se, até então, o disco mais vendido do Reino Unido em todos os tempos. Nesta época o Dire Straits era formado por Mark Knopfler (vocal e guitarra), John Illsley (baixo), Alan Clark (teclado), Guy Fletcher (teclado), Terry Williams (bateria e percussão), Jack Sonni (guitarra) e Chris White (saxofone e flauta).

Com apenas 9 músicas mas uma grande capacidade de gerar hits radiofônicos, "Brothers in Arms" é considerado por muitos o melhor disco dos Straits. Tudo começa com a singela "So Far Away". Em seguida uma das músicas mais famosas da banda (ao lado de Sultans of Swing), "Money For Nothing", com seu marcante riff inicial. A canção deu origem ainda ao primeiro videoclipe apresentado na MTV do Reino Unido.

"Walk of Life" é a definição da década de 80 em forma de música, com seu teclado que gruda nos ouvidos. "You Latest Trick" fecha essa primeira parte do álbum de maneira bem sucedida. Entretanto a sequência é menos inspirada e o disco só volta ao bom estágio inicial justamente na última canção, homônima ao disco, em momento de inspirada composição.

Um som de certa forma datado mas que ainda hoje apresenta alguns méritos.

19 de jun de 2010

Hino Nacional Patrocinado

Se o post publicado ontem sobre nosso Hino Nacional não ajudou muito na hora de cantar, tente memorizar este abaixo. Com certeza será mais fácil.
(Clique na imagem para ampliar)

18 de jun de 2010

Pra entender o Hino Nacional



O "Jornal da Orla", da cidade de Santos, publicou em 2007 uma matéria do jornalista Mauri Alexandrino que considerei bem interessante, sobretudo em tempos em que cantar o hino faz parte do nosso cotidiano, e por isso reproduzo aqui.

"Suponha trazer Joaquim Osório Duque Estrada para os dias de hoje pretendendo que ele compreenda, de bate-pronto, a letra de uma canção de Arnaldo Antunes. É algo parecido com a perplexidade da maioria dos brasileiros. Duque Estrada usou palavras e versificações de seu tempo ao escrever os versos do Hino Nacional, em 1909 - embora, mesmo na ocasião, não tenha feito a menor questão para ser popular, mais interessado que estava em agradar os gabinetes que as ruas, segundo dizem. Disso resulta a polêmica de hoje em dia.

Não existe uma interpretação oficial daqueles versos cheios de palavras complicadas. Há centenas extra-oficiais. A encrenca vai desde o Arquivo Nacional até as Forças Armadas, passando pela Maçonaria, filólogos da Universidade de São Paulo e da Universidade de Brasília, semiólogos de institutos de variados calibres e curiosos em geral. É uma batalha que começa nos dicionários, passa por profundos estudos sobre poesia do século 19 e não chega a terminar.

O trecho em que o Hino diz "formoso céu, risonho e límpido", por exemplo, aparentemente não tão deixa dúvidas. Aparentemente. Uma pesquisa mais profunda indicará que a palavra "risonho", como foi empregada no verso, deve ser entendida como "repleto de promessas", e não como "alegre" ou "feliz", como normalmente se faz, e com a palavra "promessas" significando perspectivas. E "límpido", geralmente explicado como "sem nuvens", na verdade quer dizer "nítido". Ou seja, o autor falava de um belo céu, repleto de promessas nítidas de um futuro grandioso.

Mais complicado ainda é o famoso "Mas se ergues da justiça a clava forte, verás que um filho teu não foge à luta". Uma corrente, que é a mais aceita, defende que o verso significa "se, em defesa da justiça, tiveres de ir à guerra, verás..." Mas outra corrente defende apaixonadamente que as palavras, de fato, significam "se levantas as armas da violência acima da justiça, verás..." Parece pouca coisa, mas com um pouco de atenção se pode perceber que os sentidos são opostos. A primeira fala do Brasil para outras nações, a segunda do povo para seu próprio governo.

Se o Hino fosse um manifesto, ele seria mais ou menos assim:

O Brasil agora é independente como resultado da luta dos brasileiros que equipararam sua terra às outras nações da Terra. Somos um povo livre e confiante, que ama seu país. Não hesitaremos em defender a liberdade conquistada, mesmo à custa de nossas vidas. Viemos para ficar.

Desde agora e para sempre, nosso maior desejo é que haja apenas amor e esperança em nossa terra, essa mãe generosa, e que sejamos, desse modo, uma inspiração para todos os povos.

Este é um país que nasceu grande e está destinado a um futuro brilhante, que será construído por nosso povo destemido com o exemplo de nosso passado glorioso.

Também a beleza do Brasil não deve nada a outros países da América, ao contrário, é ainda mais belo.

Queremos que esta seja a pátria do amor e da paz, mas se formos levados à guerra em defesa do que é justo, não fugiremos à luta nem temeremos a morte, porque, entre as coisas que mais prezamos, está o nosso profundo amor pelo Brasil.


Hino Nacional Original:

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da pátria nesse instante.
Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!
Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!
Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

Parte II
Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!
Do que a terra, mais garrida,
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
"Nossos bosques têm mais vida",
"Nossa vida" no teu seio "mais amores."
Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!
Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro dessa flâmula
- "Paz no futuro e glória no passado."
Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

"TRADUÇÃO"
As margens tranqüilas do rio Ipiranga ouviram o grito forte de um povo heróico
e o sol da independência brilhou no céu da Pátria, em raios faiscantes, naquele momento.
Se, com nossa firmeza, conseguimos conquistar o direito à igualdade com outras nações, agora que somos livres nosso coração desafia a própria morte.
Ó pátria amada,
adorada,
salve!

Enquanto a imagem da constelação do Cruzeiro do Sul brilhar em teu céu belo e repleto de promessas nítidas, o sonho de amor e de esperança existirá na terra.
És grandioso desde que nascestes, és belo, és forte, um gigante destemido, e teu futuro refletirá essa grandeza.

Terra adorada,
entre outras mil
és tu, Brasil,
ó pátria amada,
a mãe generosa dos filhos desse solo.
Pátria amada Brasil.

Parte II
Ocupando para sempre este lugar magnífico, ao som do mar e à luz do céu de azul intenso, tu brilhas, Brasil, beleza da América, iluminado ao sol do Novo Mundo.

Teus agradáveis e lindos campos têm mais flores do que a terra mais vistosa. "Nossos bosques têm mais vida" e "nossa vida mais amores" vivendo aqui.
(as partes em aspas são da Canção do Exílio, de Gonçalves Dias)

Ó pátria amada, adorada, salve!
Brasil, que a bandeira estrelada que exibes seja símbolo de nosso amor eterno, e que o verde e o amarelo signifiquem paz no futuro e glória no passado.

Mas se, em defesa da justiça, tiveres de ir à guerra, verás que um filho teu não foge à luta, nem teme a própria morte quem te adora.
Terra adorada,
entre outras mil,
és tu, Brasil,
ó pátria amada,
a mãe generosa dos filhos deste solo.
Pátria amada Brasil."

Agora ficou mais fácil entender o que se canta no nosso hino! Agora, se o pessoal continuar a canta "Ouviram dos Piranga as margens flácidas..." aí é outra história.

17 de jun de 2010

Frases antológicas - Mafalda

Por sugestão do leitor Paulo, apresentamos hoje frases da personagem Mafalda.

Mafalda é uma tira de histórias em quadrinhos escritas e desenhadas pelo cartunista argentino Quino. As histórias, apresentam a personagem principal, uma menina de seis anos de idade, que odeia sopa e adora os Beatles e o desenho Pica-Pau. Ela se comporta como uma típica menina na sua idade, mas tem uma visão aguda da vida e vive questionando o mundo à sua volta, principalmente o contexto dos anos 60 em que se encontra. Tem uma visão mais humanista e aguçada do mundo em comparação com os outros personagens.

Apesar de a maioria das histórias terem sido traduzidas em diferente línguas elas foram raramente publicadas em inglês; na verdade, jamais nos Estados Unidos.

Mafalda foi muitas vezes comparada ao personagem Charlie Brown, de Charles Schulz, principalmente por Umberto Eco em 1968.

Frases:

"Justo a mim coube ser eu!"

"A sopa é para a infância o que o comunismo é para a democracia!"

"Engraçado...Quando eu fecho os olhos o mundo desaparece."

"Deus,espero que o senhor possa ajudar a melhorar o estado da situação...Ou será que é a situação do Estado?"

"A vontade é a única coisa do mundo que quando esvazia tem que levar uma alfinetada."

"Tudo serve para alguma coisa, mas nada serve para tudo."

"O homem é um animal de hábito ou será que de hábito o homem não é um animal?"

"Ás vezes me pergunto se a vida moderna não tem mais de moderna do que de vida."

"E não é que neste mundo tem cada vez mais gente e cada vez menos pessoas?"

"Se a vida começa aos 40, por que nascemos com tanta antecedência?"

"Não adianta dar um ano novo para eles! Logo já vão quebrando."

"Se o Fidel dissesse que é boa, todos diriam que a sopa é ruim!"

"O urgente nunca deixa tempo para o importante."

"O problema da família humana é que todos querem ser o pai."

"Professora, todo mundo sabe que sua mãe te ama e te mima... Agora, dá para ensinar algo importante?"

"Maquiando os já para parecer o antes."

"O País todo tá la fora esperando! O que é que eu digo? Mando sentar?"

"Se é uma questão de títulos, eu sou sua filha. E nos diplomamos no mesmo dia! Ou não?"

"Já que há mundos mais evoluidos, porquê eu tive que nascer justo neste?"

"Boa noite mundo! Boa noite e até amanhã, mas fique de olho! Tem muita gente irresponsável acordada, viu?"

"Ainda bem que o mundo é um lugar bem longe daqui!"

"Ainda bem que eu acordei. Se há coisa que me deixa com raiva é gastar o inconsciente sonhando besteira."

"Às vezes vocês não se sentem um tanto indefinidos?"

16 de jun de 2010

Apelar no jogo é...

O vídeo a seguir é uma espécie de tutorial de um jogo eletrônico. Mas a atração desse vídeo são as trapalhadas do rapaz que está jogando. Quanto mais erros o cara comete mais aumenta a sua raiva. E ele perde mais de 30 vezes!

Apelação geral com videogame! Dá pra chorar de tanto rir!



15 de jun de 2010

É Copa da África do Sul ou América do Sul?


Mesmo com toda a exposição recente da África do Sul, ainda tem gente que faz uma coisa como essa aí ao lado...





14 de jun de 2010

Disco da semana - Wolfmother

"Wolfmother" (2005) - Wolfmother

Faixas:

1."Dimension"
2."White Unicorn"
3."Woman"
4."Where Eagles Have Been"
5."Apple Tree"
6."Joker & the Thief"
7."Colossal"
8."Mind's Eye"
9."Pyramid"
10."Witchcraft"
11."Tales From The Forest Of Gnomes"
12."Love Train"
13."Vagabond"



Em 2005 a banda australiana Wolfmother, então formada por Andrew Stockdale (guitarra e vocal), Chris Ross (baixo, teclados, órgão e sintetizador) e Myles Heskett (bateria e percussão), lançou o disco homônimo "Wolfmother". Foi a apresentação da banda para além das paragens australianas.

O álbum começa com um grito de Stockdale para logo em seguida iniciarem os acordes de guitarra. É "Dimension", belo cartão de apresentação do trabalho que virá na sequência.

"White Unicorn" tem menos peso que sua antecessora mas nem por isso pode ser chamada de leve. Chegando a terceira faixa, a ótima "Woman", consegue-se perceber o quanto os vocais de Stockdale remetem a Ozzy Osbourne (pode parecer blasfêmia para muitos, mas é só ouvir para constatar).

O álbum segue com "Where Eagles Have Been" e "Apple Tree" até chegar naquela que considero a melhor composição do disco: "Joker & The Thief". A música em questão desdobra a história contada por Bob Dylan em "All Along the Watchtower", décadas antes. Os riffs são contagiantes e de fácil memorização. Daqueles que ficam na cabeça por muito tempo.

"Colossal" chama a atenção pela mudança de andamento se comparada com as demais canções. Daí pra frente o álbum perde um pouco o fôlego. Talvez teria sido melhor encurtá-lo em duas ou três canções. De qualquer forma podemos dizer que o "lado A", já vale a audição.

12 de jun de 2010

Spider-man by Ramones

Cover da canção tema do desenho animado do Homem-Aranha feito pelos Ramones. Como dizem por aí, old porém gold.



11 de jun de 2010

"...em uma boate aqui na zona sul..."



"A dor do amor é com outro amor que a gente cura... Vim curar a dor desse mal de amor na Boate Azul..."

10 de jun de 2010

Frases antológicas - Neném Prancha

Como mais um post relacionado ao futebol, trazemos frases célebres de Neném Prancha, pseudônimo de Antônio Franco de Oliveira, treinador e "filósofo" do futebol.

Algumas de suas frases foram imortalizadas, sendo repetidas ainda hoje por locutores, comentaristas e cronistas do futebol brasileiro.

Frases:

"Futebol é muito simples: quem tem a bola ataca; quem não tem defende."

"Jogador brasileiro não vai ter problema no México, não. Tudo já morou em favela e não pode se queixar de altitude."

"Jogador bom é que nem sorveteria: tem várias qualidades."

"Futebol moderno é que nem pelada. Todo mundo corre e ninguém sabe pra onde."

"Futebol é uma caixinha de surpresa."

"Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa."

"Se concentração ganhasse jogo, o time do presídio não perdia uma partida."

"Jogador de futebol, tem que ir na bola com a mesma disposição com que vai num prato de comida."

"Jogar a bola pra cima, enquanto ela estiver no alto não há perigo de gol."

"O Didi joga bola como quem chupa laranja, com muito carinho."

"O goleiro deve andar sempre com a bola, mesmo quando vai dormir. Se tiver mulher, dorme abraçado com as duas."

"O pênalti é tão importante que devia ser cobrado pelo presidente do clube."

"Se macumba ganhasse jogo, o Campeonato Baiano terminava empatado."

"O importante é o principal, o resto é secundário."

"Quem corre é a bola. Senão, era só fazer um time de batedores de carteira."

"Jogador que joga nas 11 não joga bem em nenhuma."

"Bola tem que ser rasteira porque o couro vem da vaca e a vaca gosta de grama."

9 de jun de 2010

Nomes dos países que participam da Copa 2010

Faltando poucas horas para o início da Copa do Mundo de Futebol na África do Sul, o Peramblogando apresenta para os leitores a curiosa definição para os nomes dos 32 países participantes do torneio. Alguns são realmente curiosos, outros bem previsíveis.


Comecemos pelo continente africano e a anfitriã "África do Sul" cujo nome deriva da posição geográfica em relação ao continente africano.

"Gana" deriva de um antigo reino do oeste da África de mesmo nome.

"Costa do Marfim" surge com os franceses que batizaram a região (Côte d'Ivoire) em referência ao comércio de marfim na área – da mesma forma que outras áreas litorâneas vizinhas foram chamadas de Costa dos Grãos, Costa do Ouroe Costa dos Escravos.

"Nigéria" deriva do rio Niger, a partir do termo nativo “ni Gir”, “rio Gir”.

"Camarões" deriva da designação dada pelos exploradores portugueses para o rio Wouri dada no século XV, “rio de Camarões”, devido à abundância desse crustáceo em sua foz.

"Argélia" deriva do nome da capital, Argel, a partir do árabe “al-Jazā'ir” (“a ilha”). Al-Jazā'ir é o nome local da Argélia.


Partimos agora para os países asiáticos e da Oceania, começando pelo "Japão", traduzido como “terra do sol nascente”.

O nome "Coréia" (tanto do Norte quanto do Sul) procede de “Goryeo”, antigo reino do norte da península. “Goryeo” foi traduzido para o italiano por Marco Polo como “Cauli”, de onde procede o nome ocidental Coréia. O nome local Chosŏn significa “Terra da Manhã Tranqüila” .

"Nova Zelândia" deriva da província holandesa de Zeeland, que significa em holandês “terra do mar”, em referência ao grande número de ilhas que contém. O nome mais comum para o país nas línguas locais é o da língua maori “Aotearoa”, que significa “terra da grande nuvem branca”.

Por fim a "Austrália" derivada de “Terra do sul”, do latim “terra australis incognita”.


Seguimos agora para os países da América a começar pela "Argentina" que deriva do latim “argentum”, que significa “prata”. Os primeiros exploradores e comerciantes espanhóis e portugueses usaram a região do “Rio de la Plata” (Rio da Prata) para transportar prata e outros tesouros provenientes do Peru. As terras em torno da foz do Rio da Prata acabaram ficando conhecidas como Argentina, “terra da prata”

"Brasil", como todos devem saber, deriva da árvore de pau-brasil abundante na Mata Atlântica no período colonial português e extraída até quase a extinção, que por sua vez foi assim chamado por causa da sua madeira avermelhada, da cor de brasa (brasil em português arcaico)

"Paraguai" deriva do rio do mesmo nome, assim como "Uruguai" deriva do rio Uruguai. A palavra “uruguai” deve derivar das palavras guaranis “urugua”, que significa “caranguejos”, e "i", que significa "rio" ou "água". Outra possível explicação divide a palavra “uruguai” em três palavras do guarani: “uru”, um tipo de pássaro que vive próximo ao rio, “gua”, “que procede de” e “i”, “água”.
"Chile" pode derivar da palavra quéchua ou mapuche “chili/chilli” que significa “onde a terra termina/onde a terra vai embora/limite do mundo”. Outra possível origem é a palavra nativa “tchili”, que significa “neve”.

"México" tem origem incerta. Pode ser a palavra do antigo nahuatl para “sol”. Outros afirmam que derive do nome do líder “Mexitli”. Já outros simplesmente o relacionam com um tipo de erva que cresce no lago Texcoco. O estudioso Leon Portilla sugere que signifique “umbigo da Lua” das palavras nahuatl “metztli”, “Lua”, e “xictli”, “umbigo”. Alternativamente, poderia significar “umbigo do maguey”, de “metl”. (maguey é um tipo de bebida mexicana).

"Estados Unidos" vem do fim da Declaração de Independência: “WE, therefore, the Representatives of the UNITED STATES OF AMERICA, in GENERAL CONGRESS, Assembled...” e foi reiterado no preâmbulo da Constituição dos Estados Unidos: “We the People of the United States...”

"Honduras" surge quando Cristóvão Colombo chamou o país de “Honduras”, palavra espanhola para “profundezas” (singular “hondura”), como referência às águas profundas no litoral norte do país.


Para terminar seguimos para a Europa, continente com maior número de participantes na Copa 2010.

"Grécia" deriva do latim “græcus” (Γραικοί), forma como Aristóteles se referia ao nome original do povo do Épiro. Em grego Hellas, que significa “terra de luz” relacionado a “helios”, “sol”.

"Holanda" deriva do germânico “holt”, “coberto de árvores”, e “land”, “terra”. O nome em holandês Nederland também procede do germânico e significa "terras baixas".

"Inglaterra" é literalmente "Terra dos anglos". Anlgo era a como os saxões se referiam aos bretões.

Espanha deriva do fenício “ilha dos hiraxes”. Os colonizadores fenícios encontraram coelhos em abundância e as confundiram com os hiraxes (pequeno mamífero do norte da África), nomeando a terra no dialeto canaanita. Os romanos, que falavam latim, adaptaram o nome para “Hispania”, do qual derivam os nomes nas línguas ocidentais.

"Alemanha" significa “terra de todos os homens”. Deutschland da palavra do alto alemão antigo “diutisc” que significa “do povo” (derivado do antigo germânico “thiuda” ou “theoda”, “povo”), e do termo germânico “land”, “terra”: “terra do povo”.

Dinamarca deriva do proto-indo-europeu “*dhen”, que significa “baixo” ou “plano” e da palavra germânica “mark”, que significa “terra da fronteira” ou “floresta da fronteira”. Nome usado pelos antigos godos para descrever a floresta que separava a Scania dinamarquesa de Gothland, a terra dos godos.

"Suíça" deriva do cantão de Schwyz, provavelmente derivado do alto alemão médio “schweitz”, que significa “pântano”.

"Sérvia” provavelmente deriva da palavra eslava “ally”; o nome dos sórbios da atual Alemanha tem a mesma origem. Os sérvios migraram para os Bálcãs da região da Alemanha conhecida como Lusácia, onde os sórbios atualmente vivem.

"Itália" é provável que esteja relacionada à palavra do grego antigo “italos” (touro). O escritor romano Varrão alegou que a região recebeu esse nome da excelência e abundância desse gado.
"Eslováquia" e "Eslovénia" tem a mesma origem. Do eslavo “slav”, “eslavo”, termo derivado do eslavo para “glória”, ou “a palavra” ou “povo da água”.

"Portugal" deriva de Portus e Calem o nome latino das duas localidades na foz do Douro, atualmente Porto e Vila Nova de Gaia, que dariam também o nome ao Condado Portucalense, o predecessor do Reino de Portugal. Outra origem do nome procede do latim “Portus”, “porto” e o nome do porto romano de Cale (hoje a cidade do Porto), situado no local da antiga colônia grega de “Calle” (“lindo” em grego). O nome composto “Portugal” deriva do nome do “Portus Cale”.

"França" é literalmente “Terra dos francos” ou “terra dos homens livres”.

Related Posts with Thumbnails