30 de nov de 2009

Disco da semana - Barão Vermelho Ao Vivo Rock in Rio 1985

"Barão Vermelho Ao Vivo Rock in Rio 1985" (1992) - Barão Vermelho


Faixas:

1."Maior Abandonado"
2."Milagres"
3."Subproduto Do Rock"
4."Sem Vergonha"
5."Narciso"
6."Todo Amor Que Houver Nessa Vida"
7."Baby, Suporte"
8."Bete Balanço"
9."Mal Nenhum"
10."Down Em Mim"
11."Por Que A Gente É Assim?"
12."Um Dia Na Vida"
13."Menina Minada"
14."Pro Dia Nascer Feliz"


Gravado em 15 de janeiro de 1985, durante a apresentação do Barão Vermelho no festival Rock in Rio, o disco dessa semana é o registro de uma das melhores performances da banda em toda sua carreira.

Naquela tarde/noite o grupo dividiria as atenções com as demais atrações da noite: Eduardo Dusek, Kid Abelha (ambos vaiados) e os estrangeiros Scorpions e AC/DC. Mesmo sendo uma banda ainda nova, o Barão já possuía um bom repertório, suficiente para extrapolar todas as expectativas em torno de sua apresentação.

O palco gigante e a multidão não foram capazes de intimidar a banda e principalmente seu vocalista, Cazuza, no auge da forma. "Maior Abandonado" garante um início contagiante. As músicas seguintes conferem empolgação ao público que aumenta ainda mais aos primeiros acordes de "Bete Balanço", um dos maiores sucessos do grupo.

"Por Que a Gente é Assim" é outro ponto forte de apresentação/disco. A essa altura o público já estava nas mãos de Cazuza e dos demais "barões". Tudo perfeito para o final apoteótico. Naquele mesmo dia Tancredo Neves havia sido eleito Presidente da República, o que de certa maneira simbolizava o fim do regime ditatorial no país. Ao fechar o show com "Pro Dia Nascer Feliz", o Barão dava voz ao desejo de milhões de brasileiros esperançosos de que dali para frente o país finalmente se transformaria.

Um show histórico que para nossa sorte, e deleite, foi devidamente registrado e convertido, primeiramente em LP e depois em CD.



28 de nov de 2009

For Those About to Rock We Salute You!


Ontem a noite foi realizado no estádio do Morumbi em São Paulo o show da banda AC/DC, parte da turnê Black Ice, em única apresentação no país.

Após enfrentar 2 horas em trânsito lento, típico de São Paulo, me juntei a outras quase 65 mil pessoas para acompanhar esse show que se fosse pra ser resumido em uma palavra esta seria perfeito.

Uma cena me chamou a atenção pouco antes do show. Angus Young, o guitarrista, subiu ao palco e deu uma espiada no público. Fotografou a galera e saiu com cara de quem iria aprontar muito naquela noite. E realmente aprontou.


Tudo começou com o estádio ficando as escuras enquanto um telão exibia uma animação da banda a bordo de um trem. Ao final da animação ocorrem várias explosões no palco, o telão se abre e surge uma locomotiva de 6 toneladas. A banda aparece já tocando a primeira da noite: "Rock and Roll Train".

O show seguiu com "Hell Ain't a Bad Place to Be" e logo em seguida a clássica "Back in Black". O público ainda se recuperava quando veio a sequência com "Big Jack", "Dirty Deeds Done Dirt Cheap", "Shot Down in Flames", "Thunderstruck" e "Black Ice".

Então a apresentação mudou de ritmo para se adequar ao blues "The Jack", que terminou com o semi-striptease de Angus.

Em seguida as atenções foram voltadas para Brian Johnson que percorreu toda a passarela que o levava até o meio do público. Poucos perceberam mas neste mesmo momento surgia no palco um enorme sino. Era chegada a hora de "Hells Bells". Johnson então correu e se dependurou na corda do sino, que baladou o suficiente para ecoar em todo o estádio.

O show prosseguiu com "Shoot to Thrill", "War Machine" e "Dog Eat Dog". Daí pra frente o que se viu foi o encaminhamento para o final do show em grande estilo.

"You Shook Me All Night Long" e "T.N.T." preapararam terreno para "Whole Lotta Rosie". Neste momento surge uma enorme boneca inflável sentada sobre a locomotiva localizada no palco. Detalhe, a boneca se movimentava no embalo da música. Na sequência os acordes de "Let There Be Rock" anunciam que o show chegava ao fim.

A banda saiu do palco após uma longa jam session de Angus que regeu o público através de sua guitarra. Tudo escuro novamente... Ninguém deixou seu lugar... Sabiam que ainda haveria mais, e houve. Um bis em grande estilo. Primeiro "Highway to Hell", com direito a Angus com chifrinhos, e em seguida "For Those About to Rock", acompanhada por disparos de 6 canhões que se dispuseram por todo o palco.

A banda agradece novamente deixando todos com a sensação de que fora tudo muito rápido. Bom sinal. Uma queima de fogos coloriu a noite no Morumbi. Era hora de voltar pra casa.

Ah, quem abriu o show foi o Nasi. Tocou Clash, Stooges, Raul Seixas, Plebe Rude... Se esforçou mas não surtiu muito efeito. Dispensável.





27 de nov de 2009

Mil e uma utilidades

Quando criança sempre quis ter um canivete. Era legal ter um canivete. Provavelmente não faria nada com aquilo, mas a idéia inicial era apenas ter um. Em meio a esse infantil desejo, mal podia imaginar a história por trás do mais famoso dos canivetes, o chamado "canivete suíço".

Sabendo que o exército do seu país importava canivetes da Alemanha, Karl Elsener, um verdadeiro empreendedor, vislumbrou a oportunidade de faturar.

De olho no nicho de mercado, Elsener abriu uma fábrica em 1884. Para nomear seu produto optou por Victorinox, em homenagem a seus pais, Victor e Victoria. Resolveu também criar uma identidade visual própria. Assim surgiu o famoso canivete vermelho com a bandeira da Suíça. Em 1891 o exército Suíço já utilizava apenas os canivetes produzidos por Elsener.

Como já dissemos, Elsener era um empreendedor, e como bom empreendedor resolveu ampliar seu público alvo. Por que só o exército? Canivetes deveriam poder ser úteis a todos. E a partir desta idéia o industrial começou a adaptar instrumentos ao seu produto. Assim surgiram os modelos com abridor de latas, chave de fendas, saca-rolhas, serrote, alicate, abridor de garrafas, lente de aumento e até bússola. Hoje, a linha tem 100 diferentes combinações.


26 de nov de 2009

Frases antológicas: William Shakespeare

William Shakespeare foi um poeta e dramaturgo inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo.

Entre suas obras destacam-se "Sonho de uma Noite de Verão". "O Mercador de Veneza", "A Comédia dos Erros", "Muito Barulho por Nada", "A Megera Domada", "Romeu e Julieta", "Macbeth", "Rei Lear", "Otelo", "Hamlet" e "Ricardo III".

Frases:

"Dê a todas pessoas seus ouvidos, mas a poucas a sua voz."

"É melhor ter um epitáfio ruim do que a maledicência durante a vida."

"Sem ser provada, a paciência dura".

"É lícito aspirar ao que não se pode alcançar".

"Entre dois beijos abrimos mão de reinos e províncias".

"Os amigos me adulam e me fazem de asno, mas meus inimigos me dizem abertamente que o sou, de forma que com os inimigos aprendo a me conhecer e com os amigos me sinto prejudicado".

"Nada me deixa tão feliz quanto ter um coração que não se esquece de seus amigos".

"Chorar velhos amigos que perdemos não é tão proveitoso e saudável como nos alegrarmos pelas novas aquisições de amigos".

"Devemos aceitar o que é impossível deixar de acontecer".

"Se os maridos das esposas infiéis desesperassem, enforcar-se-ia a décima parte da humanidade".

"O amor não vê com os olhos, vê com a mente; por isso é alado, é cego e tão potente".

"Se não te lembram as menores tolices que o amor te levou a fazer, é que jamais amaste".

"Nisto é que consiste a monstruosidade do amor: em ser infinita a vontade e limitada a execução; em serem ilimitados os desejos, e o ato, escravo do limite".

"Os motivos do amor não têm motivo".

"Sinto a fúria de suas palavras, mas não entendo nada do que você diz."

"Nascidos, choramos por nos vermos neste imenso palco de tolos."

"Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra."

Let There be Rock! - AC/DC no Brasil

Acontece amanhã (27/09) o aguardado show da banda australiana AC/DC em terras brasileiras. Apresentação única, concorridíssima, com ingressos disputados até o fim e outros tantos "leiloados" por cambistas malditos em sites de relacionamento na internet.

Fora todos os problemas com a venda de ingressos, o que se promete para o estádio do Morumbi em São Paulo é uma performance histórica de uma das mais queridas bandas de rock do planeta. Brian Johnson, Angus e Malcolm Young, Phil Rudd e Cliff Williams desfilarão clássicos como Highway to Hell, Back in Black, For Those About to Rock, bem como novidades do último cd, Black Ice. Um show daqueles pra guardar na memória e daqui há quinze anos ainda dizer: "eu fui!".

Um pouco de AC/DC pra esquentar os motores.








ACDC = Rock em alta voltagem.

25 de nov de 2009

The Muppets: Bohemian Rhapsody

Uma paródia do famoso videoclipe do Queen, estrelado pelos Muppets, é o mais novo hit da web. No ar a apenas dois dias, o vídeo já contabilizou mais de um milhão de visitas no youtube e entrou para o trending topics do twitter. Por uma questão lógica, na versão dos bonecos de pano, foram retirados os trechos em que Freddie Mercury confessa um assassinato. A solução para essa ausência foi bem sacada e também hilária.



A melhor homenagem que Freddie Mercury poderia ter recebido!

Para jogar e para decorar

O design inconfundível das mesas de sinuca aos poucos vem recebendo uma nouva roupagem. A Elite Game Room, por exemplo, desenhou uma mesa de jantar que é só abrir o tampo e, voilà, eis que surge o tapetinho verde. Você janta e depois joga uma partida.

Mas a criatividade não para aí. Já existem mesas transparentes, com acessórios automobilísticos, com o tampo impresso e com sensor de movimento.



*foto mesa tuning por festerblog

Cenas do cotidiano...

Você é daqueles que gosta de passear com cães enormes e com cara de poucos amigos simplesmente para impor moral?

Pois fique sabendo que andar com pitbull, doberman e rottweiller pra tirar onda é coisa do passado...

O negócio agora é ter uma hiena!








Na segunda foto percebe-se que além de hienas o pessoal "passeia" com macacos...

Acho que nem me surpreenderia se alguém aparecesse com uma girafa na coleira...

É praticamente viver no Simba Safari...






24 de nov de 2009

18 anos sem Freddie Mercury

A exatos 18 anos morria Freddie Mercury, vocalista do Queen e um dos maiores cantores que o rock já teve.

Mercury morreu de AIDS em 24 de novembro de 1991, aos 45 anos de idade, justamente um dia após anunciar publicamente que era portador do vírus HIV.

Autor de muitos dos sucessos do Queen como Bohemian Rhapsody, Love of My Life e We Are the Champions, Mercury destacava-se também como intérprete, condição garantida por sua grande técnica vocal e por sua inimitável presença de palco e domínio do público.

Melhor do que falar é ouvir. Fiquemos com "The Show Must Go On", do álbum "Innuendo", lançado em 1991 pouco antes da morte de Mercury.



Buddy Guy e Dianne Reeves de graça em São Paulo

.
Buddy Guy
No dia 29 de novembro o Parque da Independência em São Paulo será palco de um grande show de blues e jazz. Trata-se de mais uma edição do Telefônica Open Jazz. Os artistas da vez são a notável vocalista de jazz, Dianne Reeves e a lenda Buddy Guy, guitarrista mestre do chamado Chicago Blues, cujas canções foram regravadas por nomes como Led Zeppelin, Eric Clapton, Rolling Stones, Stevie Ray Vaughan, John Mayall e Jack Bruce.
Telefônica Open Jazz
Data: 29/11/2009
Local: Parque da Independência
Endereço: Av Nazareth, s/n – Ipiranga. Entrada pela Rua dos Patriotas, Portão Principal
Horário: 16 horas   -   Entrada GRATUITA


Negócio de ocasião - IPI

Enquanto isso, em uma rua do centro de São Paulo...



23 de nov de 2009

Animação - The Father

The Father é uma animação bacaníssima do estúdio Stick Monster Lab, que narra a trajetória de um pai e seu filho durante vários anos, como se fosse um livro animado.




Legal demais!

Disco da semana - Ten

"Ten" (1991) - Pearl Jam




Faixas:

1."Once"
2."Even Flow"
3."Alive"
4."Why Go"
5."Black"
6."Jeremy"
7."Oceans"
8."Porch"
9."Garden"
10."Deep"
11."Release"



Após o recebimento de algumas sugestões, modificamos um pouco a forma como o "Discos da Semana" é apresentado. Além das informações que costumeiramente repassamos (como realizado acima) agora também disponibilizaremos um pequeno vídeo com trechos de cada uma das faixas do álbum. A tentantiva é de tornar o post mais "musical" e despertar nos leitores a vontade de ouvir o álbum na íntegra. Outra mudança é a inclusão de um pequeno comentário sobre o disco em questão.

"Ten" foi o disco responsável por alçar o Pearl Jam ao hall da fama, colocando a banda lado a lado com as outras grandes que emergiram de Seattle na mesma época como Nirvana, Alice in Chains e Soundgarden.

O disco em si é bem simples, um rock cru, com pegada típica do grunge. Letras carregadas de pessimismo e riffs marcantes. Como singles foram lançadas as ótimas Even Flow, Jeremy e Alive, esta tornando-se uma espécie de "Smells Like Teen Spirit" do Pearl Jam. Detalhe, "Ten" foi lançado um mês antes de "Nevermind".

O início é cheio de energia. Até a música 4 (Why Go) o ritmo é empolgante. Em seguida chega-se a Black, canção que traz consigo um sofrimento capaz de ser sentido na voz de Vedder. Uma transição necessária para a trágica Jeremy.

Oceans tem a pegada mais diferente do disco. Leva verdadeiramente o ouvinte a se sentir como em uma praia qualquer a contemplar o vai e vem do mar. O ritmo volta a se acelerar com Porch, dona de uma força que acabou ofuscada pelos já citados singles. Garden, Deep e Release completam o quadro trazendo indícios do que seria o som da banda dali pra frente.

Um trabalho consistente de uma banda que dava seus primeiros passos. O Pearl Jam na época era formado por Eddie Vedder (vocais), Jeff Ament (baixo), Stone Gossard (guitarra), Dave Krusen (bateria) e Mike McCready (guitarra).






21 de nov de 2009

Os nomes das cores

As vezes me pego pensando em coisas inúteis. Uma delas originou esse post. O que surgiu primeiro? O nome laranja para a fruta e por isso a cor tem esse nome ou a fruta tem esse nome por causa da cor? Aliás, de onde tiraram o nome laranja? Estendi minha dúvida para as demais cores e acabei encontrando as respostas no site da revista Mundo Estranho. O resultado vocês verão agora.

AMARELO
Na Antiguidade, pensava-se que a icterícia, uma doença que deixa as crianças amareladas, vinha da bílis, secreção produzida pelo fígado que era chamada "humor amargo". No latim, amargo era amargus, que no diminutivo virava amarellus, que acabou virando amarelo.

LARANJA
Quando os árabes resolveram fazer uma "visitinha" à Europa, trouxeram na bagagem a fruta laranja - nárandja, em árabe. De lambuja, acabaram batizando a cor.

BRANCA
Em geral, dizemos que algo bem liso e brilhante é "branquinho". Os latinos também achavam isso e pegaram o germânico blank, que significa polido, para falar da cor. Aliás, o termo "armas brancas", usado para facas e punhais, vem daí: branco de polido, reluzente.

PRETO
O nome da cor preta vem do latim appectoráre, que queria dizer "comprimir contra o peito". Como assim? É que, com o tempo, o appectorár virou apretar. E, por uma analogia muuito criativa, deu no preto, querendo dizer algo denso, espesso, "apertado".


AZUL
Foi uma pedra preciosa chamada lápis-lazúli que batizou a cor azul. Lápis não conta, porque já queria dizer pedra em latim, mas o lazúli veio do árabe lázúrd, nome da rocha azulada. Em latim, o que era pedra continuou pedra, e a cor ficou simplesmente azul.

MARROM
A castanha portuguesa, aquela do Natal, chama-se marron, em francês. E foi da cor desse fruto que veio o nosso marrom. Aliás, o marrom-glacê é isso: um doce escuro feito de castanha portuguesa.

CINZA
O cinza nasceu daquela massa de pó misturado com brasas que sobra no fim das fogueiras. Por associação, a palavra latina cinisia, que queria dizer cinzas, transformou-se também no nome do tom preto-claro.

VERMELHO
Antigamente, como ninguém conhecia urucum nem pau-brasil na Europa, o único jeito de fazer tinta vermelha era usar um inseto - hoje chamado de cochonilha - que, esmagado, virava um vermelhão. O nome dessa cor vem do latim vermiculum, vermezinho.

VERDE
Aqui chegamos a uma das poucas cores que já nasceu cor. O verbo latino vivere significava estar verde, verdejar. Dele é que nasceu a associação do verde com algo que está nascendo, que ainda não está pronto.



20 de nov de 2009

Zumbis

Los Sebosos Postizos (banda formada pelos músicos da Nação Zumbi) canta "Zumbi" de Jorge Benjor.
Show!



Castro Alves e o navio negreiro

Hoje, 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, vale recordar o que escreveu o poeta Castro Alves ainda no ano de 1869. A seguir um trecho de "Navio Negreiro", poema que descreve com imagens e expressões terríveis a situação dos africanos arrancados de suas terras, separados de suas famílias e tratados como animais nos navios que os traziam para ser propriedade de senhores.

"IV

Era um sonho dantesco... o tombadilho
Que das luzernas avermelha o brilho.

Em sangue a se banhar.

Tinir de ferros... estalar de açoite...

Legiões de homens negros como a noite,

Horrendos a dançar...


Negras mulheres, suspendendo às tetas

Magras crianças, cujas bocas pretas

Rega o sangue das mães:

Outras moças, mas nuas e espantadas,

No turbilhão de espectros arrastadas,

Em ânsia e mágoa vãs!


E ri-se a orquestra irônica, estridente...

E da ronda fantástica a serpente

Faz doudas espirais ...

Se o velho arqueja, se no chão resvala,

Ouvem-se gritos... o chicote estala.

E voam mais e mais...


Presa nos elos de uma só cadeia,

A multidão faminta cambaleia,

E chora e dança ali!

Um de raiva delira, outro enlouquece,

Outro, que martírios embrutece,

Cantando, geme e ri!


No entanto o capitão manda a manobra,

E após fitando o céu que se desdobra,

Tão puro sobre o mar,

Diz do fumo entre os densos nevoeiros:

"Vibrai rijo o chicote, marinheiros!

Fazei-os mais dançar!..."


E ri-se a orquestra irônica, estridente. . .

E da ronda fantástica a serpente

Faz doudas espirais...

Qual um sonho dantesco as sombras voam!...

Gritos, ais, maldições, preces ressoam!

E ri-se Satanás!...


V

Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus!

Se é loucura... se é verdade

Tanto horror perante os céus?!

Ó mar, por que não apagas

Co'a esponja de tuas vagas

De teu manto este borrão?...

Astros! noites! tempestades!

Rolai das imensidades!

Varrei os mares, tufão!


Quem são estes desgraçados

Que não encontram em vós

Mais que o rir calmo da turba

Que excita a fúria do algoz?

Quem são? Se a estrela se cala,

Se a vaga à pressa resvala

Como um cúmplice fugaz,

Perante a noite confusa...

Dize-o tu, severa Musa,

Musa libérrima, audaz!...


São os filhos do deserto,

Onde a terra esposa a luz.

Onde vive em campo aberto

A tribo dos homens nus...

São os guerreiros ousados

Que com os tigres mosqueados

Combatem na solidão.

Ontem simples, fortes, bravos.

Hoje míseros escravos,

Sem luz, sem ar, sem razão. . .


São mulheres desgraçadas,

Como Agar o foi também.

Que sedentas, alquebradas,

De longe... bem longe vêm...

Trazendo com tíbios passos,

Filhos e algemas nos braços,

N'alma — lágrimas e fel...

Como Agar sofrendo tanto,

Que nem o leite de pranto

Têm que dar para Ismael.


Lá nas areias infindas,

Das palmeiras no país,

Nasceram crianças lindas,

Viveram moças gentis...

Passa um dia a caravana,

Quando a virgem na cabana

Cisma da noite nos véus ...

... Adeus, ó choça do monte,

... Adeus, palmeiras da fonte!...

... Adeus, amores... adeus!...


Depois, o areal extenso...

Depois, o oceano de pó.

Depois no horizonte imenso

Desertos... desertos só...

E a fome, o cansaço, a sede...

Ai! quanto infeliz que cede,

E cai p'ra não mais s'erguer!...

Vaga um lugar na cadeia,

Mas o chacal sobre a areia

Acha um corpo que roer.


Ontem a Serra Leoa,

A guerra, a caça ao leão,

O sono dormido à toa

Sob as tendas d'amplidão!

Hoje... o porão negro, fundo,

Infecto, apertado, imundo,

Tendo a peste por jaguar...

E o sono sempre cortado

Pelo arranco de um finado,

E o baque de um corpo ao mar...


Ontem plena liberdade,

A vontade por poder...

Hoje... cúm'lo de maldade,

Nem são livres p'ra morrer. .

Prende-os a mesma corrente

— Férrea, lúgubre serpente —

Nas roscas da escravidão.

E assim zombando da morte,

Dança a lúgubre coorte

Ao som do açoute... Irrisão!...


Senhor Deus dos desgraçados!

Dizei-me vós, Senhor Deus,

Se eu deliro... ou se é verdade

Tanto horror perante os céus?!...

Ó mar, por que não apagas

Co'a esponja de tuas vagas

Do teu manto este borrão?

Astros! noites! tempestades!

Rolai das imensidades!

Varrei os mares, tufão! ..."


19 de nov de 2009

O ainda desconhecido mas fantástico Jamie Cullum

Jamie Cullum é um artista inglês que derrama talento. O trabalho do cara mescla composições próprias com covers majestosamente bem elaborados. Para se ter uma noção, Cullum já gravou de Cole Porter a Radiohead, passando por U2 e Jimi Hendrix. O mais bacana é que fica clara a intenção de Jamie em imprimir sua personalidade, sem tentar arrancar um sucesso às custas de outro artista.

Apesar de sua notoriedade mundo afora, o músico não é famoso no Brasil, porém já realizou uma turnê no país no segundo semestre de 2006, época que "Mind Trick" (uma canção sua) estava na trilha sonora da novela Belíssima. A marca de Jamie é o seu piano que traz um toque jazzístico e sempre acompanha sua música. Por isso, algumas pessoas definem o estilo de Cullum como Pop Jazz. Definições à parte, inquestionável mesmo é o seu talento, que eu pude conferir em uma performance ao vivo. Aqui fica uma amostra dos seus ótimos covers. Pra quem não o conhece, vale a pena!

- High and Dry (de Radiohead)



- Wind Cries Mary (de Jimi Hendrix)



- A mais recente empreitada de Jamie: Don´t stop the music (de Rihanna). Fabuloso!



Frases antológicas: Nelson Mandela

Nelson Rolihlahla Mandela é um advogado, ex-líder rebelde e ex-presidente da África do Sul de 1994 a 1999. Principal representante do movimento anti-apartheid, foi o primeiro negro eleito para governar o país. Considerado pela maioria das pessoas um guerreiro em luta pela liberdade, era considerado pelo governo sul-africano um terrorista.
Em 1962 Mandela foi preso, sentenciado a prisão perpétua, por planejar ações armadas. No decorrer dos vinte e seis anos seguintes, Mandela se tornou de tal modo associado à oposição ao apartheid que o clamor "Libertem Nelson Mandela" se tornou bandeira de todas as campanhas e grupos antiapartheid ao redor do mundo.
Recusando trocar uma liberdade condicional pela recusa em incentivar a luta armada, Mandela continuou na prisão até 1990, quando foi libertado por ordem do presidente Frederik Willem de Klerk.
Em 1993 foi atribuído a Mandela e de Klerk o Prêmio Nobel da Paz.

Frases de Nelson Mandela:

"Bravo não é quem sente medo, é quem o vence".
"Uma boa cabeça e um bom coração formam sempre uma combinação formidável."
"Não há caminho fácil para a Liberdade."
"A derrubada da opressão foi sancionada pela humanidade, e é a maior aspiração de cada homem livre."
"A luta é a minha vida. Continuarei a lutar pela liberdade até o fim de meus dias."
"A violência do governo só pode fazer uma coisa: gerar a contra-violência."
"A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo."
"Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos."
"Marcados nessas pedras você vai encontrar a dor de nossa luta, a tristeza de nossas perdas e os alicerces de nossa vitória."
"Democracia com fome, sem educação e saúde para a maioria, é uma concha vazia."
"Depois de escalar uma montanha muito alta, descobrimos que há muitas outras montanhas por escalar."
"Eu faço tudo isso em nome dos princípios morais, segundo os quais não podemos abandonar aqueles que nos ajudaram nos momentos mais sombrios da história do nosso país."
"Ainda há gente que não sabe, quando se levanta, de onde virá a próxima refeição e há crianças com fome que choram."
"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar."
"Se existe sonhos sobre uma bela África do Sul, há também estradas que levam a este objetivo. Duas destas estradas podem ser chamadas Bondade e Clemência. "
"Nunca, nunca e nunca de novo esta bela terra experimentará de novo a opressão de um sobre o outro."
"Cultivo minha própria liberdade carinhosamente, mas cuido ainda mais da nossa liberdade. Tantos têm morrido desde que deixei a prisão. Tantos têm sofrido pelo amor à liberdade. Devo isso às suas viúvas, aos seus órfãos, às suas mães e aos seus pais, que enlutaram e sofreram por eles."
"Sonho com uma Africa em paz consigo mesma."
"Quando deixamos nossa luz própria brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo."
"Será que alguém realmente pensa que eles não conseguiram o que queriam porque não tinham o talento ou a força ou a tolerância do comprometimento?"
"Isso foi uma das coisas que me preocuparam - ter ascendido à posição de semi-deus - pois daí em diante você não é mais um ser humano. Eu queria ser conhecido como Mandela, um homem com fraquezas, algumas das quais são fundamentais, e um homem que é engajado."
"Comenta-se que ninguém de fato conhece uma nação até que se veja numa de suas prisões. Uma nação não deveria ser julgada pela forma que trata seus mais ilustres cidadãos, mas como trata os seus mais simplórios."
"Não há revelação mais aguçada do espírito de uma sociedade do que a forma pela qual ela trata seus filhos."
"Não há nada como retornar para um lugar que permanece inalterado para encontrar as formas pelas quais você mesmo mudou."
"Como eu tenho dito, a primeira coisa é ser honesto consigo mesmo. Você não pode nunca ter um impacto sobre a sociedade se não mudou a si próprio... Os grandes pacificadores são todas pessoas íntegras, honestas, exceto humildes."
"Não há mais caminho fácil para a liberdade em lugar algum, e muitos de nós têm que atravessar o vale das sombras da morte de novo e de novo antes de alcançarmos o topo da montanha de nossos desejos."
"Uma boa cabeça e um bom coração são sempre uma formidável combinação."
"Se você falar com um homem numa linguagem que ele compreende, isso entra na cabeça dele." Se você falar com ele em sua própria liguagem, você atinge seu coração."
"Deixe a liberdade reinar. O sol nunca brilha tão glorioso como diante de uma conquista humana."

18 de nov de 2009

Eles estão ficando surdos

Há algum tempo vejo inúmeras reportagens que se referem aos jovens de hoje como a geração dos futuros surdos. Isso devido ao uso frequente de fones de ouvido com o volume muito alto. Porém, há situações em nosso cotidiano que também prejudicam bastante a saúde dos nossos ouvidos, por isso é preciso prestar atenção aos demais elementos que podem nos ensurdecer.

O ouvido humano suporta até 85 decibéis e caso haja uma exposição à situações que atinjam níveis superiores a essa marca por um tempo prolongado, os danos podem ser irreversíveis. O metrô e as motocicletas emitem um som com cerca de 90 decibéis, cuja exposição diária não deve ultrapassar 6 horas. Já o caminhão de lixo e a furadeira pneumática emitem entre 100 e 105 decibéis, sendo não recomendável se expor mais que 2 horas por dia a tais barulhos. A máquina de cortar grama atinge a marca de 107 decibéis! Isso implica que para assegurar a saúde auditiva não se deve ficar ao lado de um cortador por mais de uma hora. Esses são só alguns exemplos que podem interferir na nossa saúde, pois aqui nem mencionamos os shows, o cinema, o engarrafamento e outras situações muito comuns que costumam atingir milhares de pessoas.

É importante cuidar da audição desde jovem e caso suspeite que esteja ficando surdo procure um médico. Aqui é possível fazer um pequeno teste elaborado por uma fonoaudióloga.

Para saber mais como o barulho pode nos deixar surdos: www.saudeauditiva.org.br
Extraído do site da Sociedade Brasileira de Otologia


As Exigências da Vida Moderna

As Exigências da Vida Moderna
Luís Fernando Veríssimo

"Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causa do ferro.
E uma banana pelo potássio.
E também uma laranja pela vitamina C. Uma xícara de chá verde sem açúcar para prevenir a diabetes.
Todos os dias deve-se tomar ao menos dois litros de água. E uriná-los, o que consome o dobro do tempo.
Todos os dias deve-se tomar um Yakult pelos lactobacilos (que ninguém sabe bem o que é, mas que aos bilhões, ajudam a digestão). Cada dia uma Aspirina, previne infarto. Uma taça de vinho tinto também. Uma de vinho branco estabiliza o sistema nervoso. Um copo de cerveja, para... não lembro bem para o que, mas faz bem. O benefício adicional é que se você tomar tudo isso ao mesmo tempo e tiver um derrame, nem vai perceber.
Todos os dias deve-se comer fibra. Muita, muitíssima fibra. Fibra suficiente para fazer um pulôver.

Você deve fazer entre quatro e seis refeições leves diariamente. E nunca se esqueça de mastigar pelo menos cem vezes cada garfada. Só para comer, serão cerca de cinco horas do dia...
E não esqueça de escovar os dentes depois de comer. Ou seja, você tem que escovar os dentes depois da maçã, da banana, da laranja, das seis refeições e enquanto tiver dentes, passar fio dental, massagear a gengiva, escovar a língua e bochechar com Plax. Melhor, inclusive, ampliar o banheiro e aproveitar para colocar um equipamento de som, porque entre a água, a fibra e os dentes, você vai passar ali várias horas por dia.
Há que se dormir oito horas por noite e trabalhar outras oito por dia, mais as cinco comendo são vinte e uma.
Sobram três, desde que você não pegue trânsito. As estatísticas comprovam que assistimos três horas de TV por dia. Menos você, porque todos os dias você vai caminhar ao menos meia hora (por experiência própria, após quinze minutos dê meia volta e comece a voltar, ou a meia hora vira uma).

E você deve cuidar das amizades, porque são como uma planta: devem ser regadas diariamente, o que me faz pensar em quem vai cuidar delas quando eu estiver viajando.
Deve-se estar bem informado também, lendo dois ou três jornais por dia para comparar as informações.
Ah! E o sexo! Todos os dias, tomando o cuidado de não se cair na rotina. Há que ser criativo, inovador para renovar a sedução. Isso leva tempo - e nem estou falando de sexo tântrico.
Também precisa sobrar tempo para varrer, passar, lavar roupa, pratos e espero que você não tenha um bichinho de estimação. Na minha conta são 29 horas por dia.
A única solução que me ocorre é fazer várias dessas coisas ao mesmo tempo! Por exemplo, tomar banho frio com a boca aberta, assim você toma água e escova os dentes. Chame os amigos junto com os seus pais. Beba o vinho, coma a maçã e a banana junto com a sua mulher... na sua cama.
Ainda bem que somos crescidinhos, senão ainda teria um Danoninho e se sobrarem 5 minutos, uma colherada de leite de magnésio.
Agora tenho que ir.
É o meio do dia, e depois da cerveja, do vinho e da maçã, tenho que ir ao banheiro.
E já que vou, levo um jornal... Tchau!"

17 de nov de 2009

A Noviça Mais Rebelde

Na última sexta-feira (13/11) assisti a estréia de "A Noviça Mais Rebelde", com o ator Wilson de Santos. A peça é derivada do musical "Nunsense", escrita e dirigida pelo americano Dan Goggin na década de 1980.

Wilson interpreta a irmã Maria José, uma das cinco personagens da peça original, que convence a Madre Superiora da Irmandade de Salu Marie a deixá-la fazer um show beneficente. A Madre quer dar uma "bênção" especial para o espetáculo, mas se atrasa. Enquanto ela não chega, Irmã Maria José se vê obrigada a entreter a plateia com jogos interativos e números musicais inspirados no seu agitado passado.

Interação parece ser mesmo a palavra que melhor define o espetáculo. A todo momento Wilson, ou melhor, Irmã Maria José dialoga com o público, até porque a idéia é de que aquele público está mesmo lá. Não há quarta parede.

Extremamente divertida, a peça conta com supervisão artística de Marcelo Médici e adaptações musicais de Flávio Marinho e Wolf Maya.

Em cartaz no teatro Raul Cortez, em São Paulo, sempre as sextas-feiras. Imperdível.

Related Posts with Thumbnails