16 de set de 2009

O Livro dos Monstros Guardados

O Peramblogando não é um desses blogs famosos que tem por aí, mas já consegue realizar algumas coisas interessantes. Ontem tive a oportunidade de acompanhar como convidado (graças ao amigo Miguel Arcanjo) a pré-estreia do espetáculo teatral "O Livro dos Monstros Guardados", no Teatro Imprensa em São Paulo.

A peça conta as histórias de Magali, Madá, Maurício, Max, Milton, Mestre Eme e Mojo. Todas são apresentadas em primeira pessoa. Ao mesmo tempo em que o ator é o personagem, é também o narrador dos fatos. É como se o espectador fosse convidado a ler um livro sobre a vida daqueles personagens ou como se a vida dos personagens se tornasse um livro.

As sete histórias e seus personagens:

Menarca (Magali) - Uma menina de oito/nove anos relata as agruras de uma pré-púbere. Através de pequenas artimanhas, manipula os adultos e toma decisões importantes para sua vida.

A Benfazeja (Madá) - Maria das Dores, também chamada de Madá, quer ajudar aos outros a todo custo, em sua jornada obsessiva de benevolência acaba matando pessoas para beneficiar outras.

A Velha da Janela (Mauricio) - Um jovem com problemas urinários sai mais cedo da escola às quartas-feiras e depara com a figura de uma velha na janela a observar algo. Com o passar dos dias essa imagem acaba perturbando o garoto que reflete sobre relações e sobre a vida de maneira simples e poética.

Ovelhas que Voam (Max) - Em um sanatório, à espera da visita de sua mãe, Max acredita em sua sanidade, mas prefere guardá-la em sigilo, criando personagens e histórias que o mantêm ali.

Pequenos Viventes (Milton) - Maníaco por limpeza, Milton pensa ter encontrado sua grande paixão e, após sua demissão, volta pra casa mais cedo.

Minha Flor Azul-Marinho (Mestre Eme) - Um alto-executivo tecla na internet, declara a um desconhecido sua prática sexual e defende sua opção excêntrica.

Manual para Atropelar Cachorro (Mojo) - Mojo, um jovem que trabalha numa video-locadora, tenta aliviar o tédio e as tensões provocadas pelo estresse urbano, atropelando cachorros vagabundos no centro da cidade sem motivo aparente.

Escrito por Rafael Primot, o texto é extremamente rico, indo do cômico ao trágico, do escatólogico ao terno, sempre com uma sutileza imensa. A forma como as histórias são contadas também é bastante interessante. Todas as falas são intercaladas, ligando os fatos apresentados pelos personagens sem que no entanto eles se encontrem.

O elenco é formado pelos atores Sandra Corveloni (vencedora da Palma de Ouro de melhor atriz em 2008 por "Linha de Passe"), Otavio Martins, Patricia Pichamone, Luciano Gatti, Daniel Tavares, Fabio Redkowicz e Fabricio Pietro. A direção fica por conta de Zé Henrique de Paula.

Estreia dia 16 de setembro, quarta-feira, às 21 horas, no Teatro Imprensa. O espetáculo integra o terceiro e último módulo do ano do Projeto Vitrine Cultural do Centro Cultural Grupo Silvio Santos. No primeiro mês da temporada o ingresso é uma lata de leite em pó. Depois, passa a custar R$ 10,00 e R$ 5,00.


3 comentários:

Carlos Eduardo disse...

Cuktura boa e barata....em Minas num tem disso naum

Miguel Arcanjo Prado disse...

Descobri seu blog! Que bacana que escreveu sobre a peça. Escrevi para o meu blog também... Feliz coincidência.

Antônio disse...

Vi ontem na estréia. Realmente muito boa a peça. Difícil dizer qual a melhor atuação.

Related Posts with Thumbnails