22 de mar de 2010

Circuito Cultural Praça da Liberdade

Com a inauguração da chamada Cidade Administrativa do Estado de Minas Gerais, com todas as ressalvas que faço ao projeto, acabou levando a uma nova utilização do aparato público existente no entorno da Praça da Liberdade. Os prédios passaram (e ainda passam) por reformas para adequação ao projeto Circuito Cultural Praça da Liberdade.

O Circuito Cultural Praça da Liberdade está sendo implantado pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, para oferecer à população novos espaços de conhecimento, arte, cultura, ciência e entretenimento. O Circuito, desenvolvido em parceria com a iniciativa privada e com entidade pública, restaura e dá novos usos aos prédios públicos que circundam a Praça da Liberdade, transformando-os em um riquíssimo conjunto de cultura e informação, composto de acervos históricos, artísticos e temáticos; centros culturais interativos; biblioteca e espaços para oficinas, cursos e ateliês abertos; além de planetário, cafeterias, restaurantes e lojas.

O Circuito Cultural será formado pelo Palácio da Liberdade e nove equipamentos culturais. São eles: Espaço TIM UFMG do Conhecimento, Museu das Minas e do Metal, Memorial de Minas Gerais Vale, Centro de Arte Popular Cemig e o Centro Cultural Banco do Brasil.

Esses cinco novos espaços irão se somar à Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, ao Museu Mineiro, ao Arquivo Público Mineiro e ao Centro de Apoio Turístico Tancredo Neves, conhecido como Rainha da Sucata.

BH precisava de um espaço assim. Quando estive em Fortaleza me impressionei com o belo Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e disse que gostaria de ver algo assim na minha cidade. Parece que meu desejo será enfim atendido!

5 comentários:

Priscila Brito disse...

Só pra completar: o Espaço TIM UFMG do conhecimento começa a funcionar amanhã (dia 23) e o Mueseu das Minas e do Metal vai ser aberto ao público mês que vem.

Aproveito pra fazer meu jabá, hehe:
http://www.otempo.com.br/jornalpampulha/noticias/?IdEdicao=186&IdCanal=9&IdSubCanal=&IdNoticia=5638&IdTipoNoticia=1

Daniel disse...

Priscila, você é sempre bem-vinda aqui! Com ou sem jabá! rs

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paula disse...

É mesmo, Priscila. Concordo com o Daniel :)

Carlos Eduardo disse...

Como dizem no interior vou guardar minha boca para comer o angu. Mas se tudo for como ouvi um dos responsáveis pelo Circuito explanar. Acho que não será nada legal um Espaço que só representa história do vencedor ou seja das elites. Pelo que descreveu o fncionário, por exemplo, o museu da mineração que registrar o fausto desta atividade. Ora a museologia moderna, a história reformada, aantropologia pós-moderna já nos ensinaram que museus devem ser vivos e expressar a diversidade. Parece que os musues daqui ainda estõ no esquemão evolucionista da história linear de vetor único dirigido sempre para confirmar o etnocentrismo daquele ou do grupo que organizou o Museu. A história da mineração só é importante no que ela tem de diverso, inclusive em suas negatividades como o trabalho escravo, depois o trabalho sub-valorizado dos operários, os desastres ecológicos, sociais, etc que por seu turno permitiram o fausto de nossas cidades e etc....
MAS de todo modo uma coisa sei que será ótimo: o Circuito Banco do Brasil de Cultura; este eu aguardo ansioso, pois se for como o carioca ou paulista, BH vai ter ganhado um dos aprelhos culturais mais bacanas que já conheci.

Related Posts with Thumbnails