21 de dez de 2009

Disco da semana - Abbey Road

"Abbey Road" (1969) - The Beatles

Faixas:
1."Come Together"
2."Something"
3."Maxwell's Silver Hammer"
4."Oh Darling"
5."Octopus Garden"
6."I Want You"
7."Here Comes the Sun"
8."Because"
9."You Never Give Me Your Money"
10."Sun King"
11."Mean Mr. Mustard"
12."Polythene Pam"
13."She Came In Through the Bathroom Window"
14."Golden Slumbers"
15."Carry That Weight"
16."The End"
17. "Her Majesty"

Lançado em 1969, "Abbey Road" leva o nome da rua de Londres onde situa-se o estúdio de mesmo nome, onde os Beatles gravaram alguns de seus melhores álbuns. A capa simples com os quatro integrantes da banda (John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr) atravessando a rua tornou-se um ícone. Até hoje é possível ver fãs atravessando a mesma rua e tirando fotos, emulando seus ídolos.

O álbum começa com "Come Together", música feita a pedido de Timothy Leary, que concorreria a governador da Califórnia e tinha como slogan de campanha a frase "Let's Get It Together". Acabou não sendo utlilizada na campanha e entrou para o álbum. Sorte da música, azar da política.

O álbum segue com a belíssima "Something", composição de Harrison. Apesar de ter sido escrita durante o "Álbum Branco", "Something" só seria gravada em "Abbey Road". A primeira estrofe foi baseada na música "Something in the Way She Moves" de James Taylor, músico da Apple (gravadora dos Beatles) na época. Uma balada perfeita, "Something" foi a primeira composição de Harrison a ser lado A de um single da banda. É a melhor canção do álbum segundo Lennon e a melhor de George segundo McCartney.

Depois da calmaria de "Something", surge "Maxwell's Silver Hammer". Apesar da melodia agradável, "Maxwell's Silver Hammer" conta, através de versos cheios de humor negro, a história de um maníaco homicida chamado Maxwell, que com seu martelo de prata sai por aí matando pessoas. Uma faixa que não alcança a força do álbum.

A quarta faixa, "Oh Darling", é uma espécie de túnel do tempo. Ao ouví-la temos a nítida impressão de estarmos ouvindo um disco da década de 50. Uma brincadeira de McCartney que acabou dando muito certo.

"Octopus Garden" poderia facilmente ter sido incluída no álbum "Yellow Submarine", por motivos óbvios. Composta por Ringo Starr, foi inspirada numa viagem à ilha italiana da Sardenha durante as férias do último disco, quando se deparou com uma excursão turística que falava sobre a vida dos polvos. A guia turística dizia que os polvos para se protegerem, juntavam pedras coloridas em frente às suas tocas criando uma espécie de jardim. O próprio Ringo é o responsável pelos vocais da canção, simples e agradável ao mesmo tempo.

Após o jardim dos polvos de Starr aparece "I Want You", uma das mais longas canções dos beatles com mais de sete minutos. Divide-se em dois trechos distintos. A primeira parte (I Want You) é pontuada por uma guitarra marcante. Já a segunda (She So Heavy) traz ainda mais peso ao final da composição.

Harrison reaparece como compositor em outro grande momento do álbum, com "Here Comes the Sun", uma canção que faz você se sentir bem, pra cima. Um clássico. Detalhe curioso, a canção não contou com a participação de Lennon duante a gravação pois este estava se recuperando de um acidente de carro.

Do otimismo de Harrison para uma das músicas de clima mais pesado do álbum. "Because" traz consigo uma incrível harmonia onde cada vocal foi gravado em cada linha de microfone e sobreposto 3 vezes cada, totalizando 9 vozes. Uma música nada comercial mas que impressiona pelo resultado.

"You Never Give Me Your Money" inicia o pout-pourri formado por canções inacabadas de Lennon e McCartney, que se segue com "Sun King", uma canção simples e sem grande impacto.

"Mean Mr. Mustard" e "Polythene Pam" compõem um medley cujo ponto alto é sua terceira parte, "She Came in Through the Bathroom Window", excelente canção que traz como curiosidade uma inversão de papéis. Paul (baixista dos Beatles) gravou a guitarra solo enquanto George Harrison (guitarrista) gravou o baixo.

Mais um medley surge com "Golden Slumbers" e "Carry That Weight". Poucas vezes duas canções distintas se complementaram tão bem. A primeira foi criada por McCartney após ter visto em um livro um poema de Thomas Dekker, do século XVII, em formato de canção de ninar, o que se percebe bem no clima tranquilizador da canção. O contraponto surge na música seguinte, "Carry That Weight", mais pesada e agressiva. Paul toca piano e guitarra, George toca baixo e guitarra e Ringo bateria. John não participou desse medley.

A décima-sexta faixa traz a composição que seria o fechamento da brilhante carreira dos quatro rapazes de Liverpool: "The End". Sim o fechamento pois apesar de ter sido o penúltimo álbum lançado pela banda, foi o último a ser gravado. As músicas do último disco lançado pelos Beatles, ("Let It Be"), foram gravadas alguns meses antes das sessões que deram origem a "Abbey Road". A frase final seria como o epitáfio da banda na história da música: "And in the end/The love you take/Is equal to the love you make".

A canção traz o único solo de bateria de Starr nos Beatles. Paul dividiu o solo de guitarra em 3 partes e deu para George e John tocarem uma parte fazendo assim uma sobreposição de solos.

Eis que surge a dispensável "Her Majesty". "The End"era para ser a última música do disco, mas "Her Majesty" acabou entrando no álbum. Com apenas 23 segundos, traz somente Paul cantando acompanhado do violão. Foi criada por Paul após os Beatles terem recebido os títulos de Membros do Império Britânico das mãos de Elizabeth II, em 1965.


Um comentário:

Anônimo disse...

Esse disco é sensacional

Related Posts with Thumbnails