20 de mai de 2009

A genialidade de Vik Muniz

O paulistano Vik Muniz é um dos artistas mais badalados do momento. Nascido em 1961, Vik é filho de uma telefonista e de um garçom e teve a oportunidade de ir para Nova York por causa de um acidente: quando apartou uma briga de rua, Vik foi acidentalmente atingido por um tiro na perna e curiosamente o autor do disparo era pessoa que o artista tentava defender. Para compensar o ato, a pessoa ofereceu uma quantia de dinheiro a Vik que aproveitou a chance e foi para Chicago. Dois anos depois se instalou em Nova York, local que reside até hoje.

No início de sua carreira seus trabalhos consistiam basicamente em esculturas, porém com o tempo o artista começou a tirar fotografias de suas obras e atualmente seus projetos consistem em trabalhar a ilusão através da construção de imagens. O resultado é alcançado por meio de figuras que são construídas a partir de materiais inusitados e da posterior fotografia dessas obras.

Vik foi classificado como um dos maiores expoentes da arte mundial no livro "501 Great Artists: A Comprehensive Guide to the Giants of the Art World". Vale ressaltar que além dele, somente outro brasileiro figura a lista, o Hélio Oiticica. Agora o artista traz à sua cidade natal uma exposição intitulada "Vik" com 131 peças de seu acervo que ficará exposta no MASP até o dia 10 de julho.

Em passagem pelo Rio de Janeiro até o mês de março, "Vik" fez um sucesso muito grande com o público e o mais interessante é notar que as obras abragem uma gama muito grande de pessoas. Indivíduos de tipos mais diversos sentem-se fascinados pelo obra de Vik Muniz. A explicação talvez seja pelo fato do comprometimento que o artista tem em fazer com que sua arte esteja realmente ao alcance de todos. Vik simplesmente quer fazer algo que as pessoas gostem e um dos seus pontos altos é a criatividade. O artista utiliza materiais inusitados, mas vai do banal (como a geléia e a manteiga de amendoim que utilizou para fazer sua Monalisa) aos luxuosos diamantes (utilizados no retrato de Liz Taylor). Também existem obras feitas com soldadinhos de plástico, lixo, chocolate... Tudo empregado com muito talento.

Uma das histórias mais inusitadas envolve a "Medusa Marinara": Vik estava em um jantar quando, na frente de todos, começou a fazer a obra em seu próprio prato. Logicamente as pessoas ao seu redor ficaram espantadas com a irreverência e o dom do artista. Dá uma olhada como ficou:
Quem já foi recomenda: a exposição "Vik" é uma chance imperdível de conferir a genialidade de um artista brazuca. Portanto, se estiver em São Paulo, não deixe de ir.

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails